Sejam Bem Vindos!


Sejam bem vindos!

Hoje (07.05.2010), eu e minha fisioterapeuta Debora Cervinho,
criamos este blog para que eu possa contar um pouco da minha história,
compartilhar o meu dia a dia e um pouco da minha luta.



quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Alguém tem curiosidade de como eu me alimento?!

Claro que assim como a minha fisioterapeuta Débora, muitos responderam que pela boca. 
Na verdade desde o acidente eu já me alimentei de 3 formas diferentes. 
Pela gastrostomia. É um tubo que fica na minha barriga e por ali eu tomo os preparados que me alimentam e remédios.
Pela sonda nasoenteral, que é introduzida pelo nariz e recebe uma dieta industrializada que fica gotejando enquanto for necessário. Nesse caso em especial eu me alimentei assim durante mais de 1 ano sem mesmo poder beber água. 
E pela boca que Graças a Deus eu consegui. 
Mas o que eu quero falar mesmo, é que como eu não posso me mexer fica obvio  que alguém me dá o alimento na boca.
Mas isso é difícil. Porque nós temos nossa maneira de escolher o jeito de selecionar os alimentos que queremos primeiro, enfim, de selecionarmos como queremos. Até mesmo misturá-los no garfo. 
Hoje o mais pratico pra mim é comer de colher. Mas fica complicado quando os outros te dão comida.
As vezes eu peço, me dá aquilo por último... Até o lado da pessoa ficar interfere, Se ela for destra ou canhota. 
Se vocês quiserem tirar a prova peçam para alguém te dar a comida. Pode ser engraçado ou não.
A necessidade de precisar de alguém não é uma coisa feia. Ser humano tem a capacidade de se acostumar a tudo. Claro que ninguém quer se acostumar a ser tetraplégico, mas isso não é uma doença é um estado de ser. 
Eu ainda estou aqui. Os médicos já falaram tanta coisa para minha família...
É claro que tudo é mais difícil, talvez mais delicada. Mas conseguimos aprender. 
Uma vida delicada, talvez seja essa palavra que possa definir muita coisa. 
Continuo aprendendo.
Até breve...

3 comentários:

  1. Meu amigo sei exatamente o que deve está sentindo em cada descoberta, afinal, foram 14 anos que passei ao lado de minha Vilma depois do acidente convivendo com cada conquista dela. te admiro demais. Que vc nunca perca essa força. nunca permita ninguém dizer que não pode isso ou aquilo. O s nossos limites são traçados por nós mesmos.
    Um grande beijo, Herika Leite.

    ResponderExcluir
  2. você que é preguiçoso que nem eu, mesmo sendo rebelde (que nem eu) pensa que você evita a preguiça de ter que colocar a comida na boca! você só pega a parte boa: de comer! as vezes eu tenho tanta preguiça que até queria que alguém mastigasse pra mim!

    ResponderExcluir
  3. Gostei do que você disse: "A necessidade de precisar de alguém não é uma coisa feia". Quando começamos a achar que não precisamos de ninguém... o egoismo toma conta do nosso coração

    ResponderExcluir